18/08/2016

Paraisópolis

1-10História

Tudo começou por causa do ouro. O bandeirante Gaspar Vaz da Cunha partiu de Taubaté e subiu a Serra da Mantiqueira em direção às minas de Itagyba (Itajubá), se instalando na cabeceira do rio Sapucaí Mirim, já em terras de Minas Gerais. Ali, o primeiro povoado da bandeira de Vaz  da Cunha desbastou as terras para a formação de lavoura e pecuária, pois não havia indício de  ouro. Juntaram-se a eles colonos vindos de outras partes da província, originando diversas fazendas. Um deles foi o Guarda Mor Francisco Vieira Carneiro, que na década de 1820 aportou nessas terras férteis para firmar suas sesmarias. Dada a

produtividade do solo e a abundância do rio, o povoado logo se expandiu e se estabeleceu naquele lugar. Porém, ainda faltava-lhes um padroeiro que os abençoasse. Deste modo, desejaram erguer uma capela de São José, santo de grande devoção daquelas pessoas, em um terreno doado pelo fazendeiro e procurador José Alves de Lima. Assim, Dom Pedro I concedeu no dia 22 de outubro de 1827, o alvará de aprovação da Capela de São José das Formigas. À medida que o progresso caminhava, ia se sucedendo a troca de nomes: Campo do Lima, São José da Ventania, São José das Formigas, Vila Paraíso, São José do Paraíso até que em 1914 tomou o nome atual de Paraisópolis, carinhosamente chamada de Paraíso.

 

Turismo

Ventos que levam ao Paraíso

Paraisópolis desde sempre foi reconhecida na região e por quem aqui passa como a “terra do vento”, já que a cidade está geograficamente posicionada em uma área de grande fluxo de ar. Não é à toa que o município já se chamou São José da Ventania! Esse título exclusivo faz de Paraisópolis jamais ser esquecida pelos turistas que nos visitam, pois o vento sopra forte quase todos os dias do ano embalando amores, empinando pipas, balançando árvores, inspirando artistas… E por falar em artista, temos a honra de ser conterrâneos de um dos maiores artistas plásticos do planeta: Amílcar de Castro, internacionalmente aplaudido por seu estilo próprio e inovador. Paraíso abriga a segunda maior coleção de suas obras no mundo, Em primeiro está apenas Belo Horizonte, cidade que Amílcar atuou. Somos um povo acolhedor e hospitaleiro. Temos o famoso pastel do Mercado Municipal, parada obrigatória para quem visita a cidade, sem contar os deliciosos torresmos da dona Sebastiana. A arquitetura simples das casas dá um toque especial ao município, proporcionando aos turistas o aconchego de uma cidadezinha do interior. A praça principal é uma das mais lindas da região, principalmente em agosto/setembro, quando os inúmeros Ipês-Amarelos florescem. Aqui, tem-se o costume de se encontrar na praça com os amigos para tomar um sorvete, ou um açaí, ou até mesmo somente para conversar, por isso o lugar está sempre movimentado. O turismo em Paraisópolis vem crescendo com a passagem do Caminho da Fé por nossa cidade. A exemplo do Caminho de Santiago de Compostela na Espanha, o Caminho da Fé é um roteiro religioso, dedicado à N. Sra. Aparecida, muito bem sinalizado e estruturado com pousadas, hotéis e restaurantes conveniados, que garante um curso quase constante de peregrinos a pé ou de bike.

Muitos desses peregrinos são esportistas e desta forma nasceu, dentro do Caminho da Fé, a  Ultramaratona BR-135 (Brazil 135 milhas). Ela é uma prova de 135 milhas, isto é, 217 quilômetros de um

circuito mundial de três provas sendo: uma prova no gelo (divisa do EUA com Canadá), uma prova no deserto de Nevada (EUA) e uma prova nas montanhas, na Serra da Mantiqueira, que se inicia no município de S. João da Boa Vista-SP e termina na praça da Igreja Matriz de Paraisópolis-MG, no dia

25 de janeiro, data da comemoração do aniversário da cidade. Isto inspirou a criação dos “Caminhos

do Paraíso”, que se caracterizam por iniciarem e terminarem na praça da Igreja Matriz, passando por deslumbrantes visuais da Serra da Mantiqueira. Enfim, Paraisópolis nunca sairá dos corações dos que aqui habitam e das mentes dos que aqui visitam!

 

Curiosidades

  • A cidade é conhecida pelos ventos fortes que aqui sopram durante quase todos os dias do ano, pela posição geográfica que ocupa. • Terra natal do internacionalmente conhecido artista plástico Amílcar de Castro. Paraisópolis concentra a maior coleção de suas obras fora de Belo Horizonte, cidade em que atuava.
  • Terra natal de Carlos Gonzaga, artista que ficou famoso na década de 50 com a regravação da música “Diana”, sucesso no Brasil todo. • Parque Ecológico do Brejo Grande com a represa artificial mais elevada do Brasil a 1.450 metros de altura.
  • Ponto mais alto da região – Pedra de São Domingos (2.050 metros) – que é a divisa entre Paraisópolis, Camanducaia e Córrego do Bom Jesus.
  • É a última cidade que possui permissão para emitir Credenciais do Caminho da Fé para a peregrinação

rumo à Aparecida do Norte.

  • Paraisópolis já abrigou uma locomotiva na antiga estação de trem, onde hoje se encontra o Centro Cultural Amílcar de Castro.
  • Em 1914, a cidade foi a pioneira na região ao inaugurar um prédio destinado à sétima arte, o extinto “Paraíso-Cinema”.
  • O Mercado Municipal é reconhecido pela tradição de pastelarias com seus famosos pastéis de

carne e queijo.

 

Contatos

Serviços de apoio ao turista

Ponto de Táxi – (35) 3651-1304 / (35) 3651-1499

Delegacia – (35) 3651-1474

Polícia Civil – 197

Polícia Militar – 190 / (35) 3651-2588

Polícia Rodoviária Federal – 191

Expresso Gardênia – (35) 3651-3032

Expresso Pássaro Marrom – (35) 3651-1350

Hospital Frei Caetano – (35) 3651-1121

Posto de Saúde – (35) 3651-1486

Agência dos Correios – (35) 3651-1949

Prefeitura Municipal

(35) 3651-1500

Centro Cultural Amílcar de Castro

(35) 3651-3216

Secretário de Cultura e Turismo:

Alfredo Faria Lopes de Paiva

E-mail: culturparaisopolis@gmail.com

Tel.: (35) 3651-3216

 

Atrativos

Caminhos do Paraiso

Os Caminhos do Paraíso se caracterizam por serem roteiros que se iniciam e terminam na praça da igreja matriz em Paraisópolis, com mais de 98% das distâncias de seus percursos em caminho de terra e com sinalização semelhante as do Caminho da Fé, Caminho do Ouro, Caminho do Sol, etc. Estes roteiros tem variação em distâncias (10, 20, 30, 40 e 50 quilometros) e perfil plano altimétrico, havendo circuitos suaves, médios e difíceis. Eles tem atrações turísticas tais como cachoeiras, pedras para escalar, vistas deslumbrantes da Serra da Mantiqueira, água potável, vegetação nativa, locais agradáveis como parque ecológico, etc. Muito bem sinalizados, os Caminhos do Paraíso servem para provas a pé, de bike e 4×4.

Também servem simplesmente para lazer e condicionamento físico visando corridas de diversos estilos, como a São Silvestre, a Ultramaratona BR-135 entre outras, além de servir para preparo de pessoas que intencionam percorrer caminhos de peregrinação como Santiago de Compostela. O detalhe importante desses roteiros iniciarem e terminarem na praça da matriz de Paraisópolis, permite que o turista de lazer, peregrino ou esportista fique hospedado num só lugar dispensando transporte de mochilas, dinheiro (segurança) e eventualmente, equipe de apoio durante suas caminhadas, passeios e competições.

Ficando hospedado em Paraisópolis o turista pode desfrutar do conforto e estilo de vida de uma cidade pequena mineira, super hospitaleira, mais conhecida como simplesmente Paraíso. Paraíso é a cidade das praças onde a população se reúne para um choppinho, tiragosto, sorvete, café, etc. Os restaurantes não são luxuosos porém se pode comer desde uma comida caseira, mineira, até uma deliciosa truta e ainda os deliciosos pastéis no mercado, etc. A rede hoteleira oferece estilos diferentes como simples,

aconchegante e luxo, a preços muito competitivos.

Caminho da Fé

Sua peregrinação, rumo a Aparecida do Norte, pode começar em Paraisópolis adquirindo aqui a sua Credencial do Caminho da Fé. São 130 km até Aparecida. Os ciclistas podem chegar aqui numa  sexta-feira à noite, vindo por exemplo de São Paulo pelo Pássaro Marrom, dormir aqui, adquirir a credencial,

sair sábado cedo, dormir em Campos do Jordão e chegar em Aparecida no domingo à tarde. Pedestres precisam de três dias, o que torna feriados prolongados o ideal. Há mais pousadas no caminho entre Paraisópolis e Campos do Jordão e entre Campos do Jordão e Aparecida.

 

Galeria de fotos de Paraisópolis:

Conheça as atrações da cidade:


Artesanato

Aventura

Cachoeira

Compras

Contemplação

Cultural

Ecoturismo

Eventos

Gastronomia

Informações Turísticas

Lazer

Mirante

Religioso

Romance

Turismo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *