18/08/2016

Extrema

EXTREMA, A NATUREZA PERTO DE VOCÊ!

HISTÓRIA

O território que pertence ao município de Extrema foi constituído a partir do desmembramento, em 1901, de terras pertencentes a Camanducaia, uma das mais antigas freguesias instituídas pela administração colonial na região que atualmente corresponde ao sul do Estado de Minas Gerais.

Em 1764, o então governador da Capitania de Minas Gerais, Luís Diogo Lobo da Silva, determinou a implantação de um registro fiscal às margens do Rio Jaguari. Tal iniciativa teve por objetivos impor a jurisdição de Minas Gerais a norte do Morro do Lopo, (região ambicionada por autoridades das capitanias de Minas Gerais e de São Paulo nesse período) e tentar evitar os descaminhos do ouro. Conflitos na região da divisa foram constantes também durante o século XIX. Somente na década de 1930 a questão da fronteira, no referido trecho entre Minas e São Paulo, foi resolvida.

No que se refere à existência de um núcleo populacional na região de Extrema, a primeira referência encontrada até o momento data de 26 de dezembro de 1788, quando foi registrado, junto à matriz de Nossa Senhora da Conceição de Camanducaia, o batismo de um menino cujos pais eram moradores no “Bairro da Extrema”.

Em agosto de 1832 foi deferida pela autoridade diocesana do Bispado de São Paulo, uma petição pela qual o fazendeiro José Alves requereu permissão para construir uma capela nesse local. Este templo foi consagrado a Santa Rita de Cássia.

Diversos movimentos separatistas foram verificados na zona que corresponde ao sul do Estado de Minas Gerais ao longo do período imperial e envolveram também moradores do distrito de Santa Rita da Extrema.

Nas últimas décadas do século XIX, registrou-se a chegada, em Extrema, de imigrantes europeus, principalmente italianos e portugueses. Esses, aos poucos foram se inserindo na vida política e social local. Posteriormente, imigrantes japoneses instalaram-se no município.

Extrema obteve sua emancipação político-administrativa em 1901, ato comemorado anualmente no dia 16 de setembro. O século XX foi marcado por intensas transformações na região, das quais destacamos a conclusão, em 1961, das obras da BR-31 (Atual BR 381 – Rodovia Fernão Dias); os primeiros esforços para a adoção do turismo como instrumento de desenvolvimento socioeconômico (década de 1960); a instalação da primeira indústria na década de 1970; a duplicação da BR 381, concluída em 2005; a intensificação da política de atração de indústrias (desde a década de 1980 até o presente momento) e um incentivo à diversificação da economia local aliado à preocupação com a manutenção de seus recursos naturais e culturais.

Nos últimos anos o município se destacou em diversos indicadores socioeconômicos de Minas Gerais e do país. Destacamos a primeira posição alcançada no Índice Mineiro de Responsabilidade Social da Fundação João Pinheiro – ano base 2010 (que considera as áreas de saúde, educação, segurança pública, finanças municipais, meio ambiente, esporte e turismo, renda, assistência social e cultura).

Além disso, Extrema foi classificada em primeiro lugar no Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal – edição 2015 – ano base 2013, (que analisa anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os municípios brasileiros no que diz respeito aos itens emprego e renda, educação e saúde.

ROTAS

Para que o turista possa circular pelo território municipal e conhecer os atrativos, serviços e equipamentos turísticos, Extrema foi regionalizada em 5 regiões turísticas, integrando o turismo de Extrema com as cidades vizinhas.

Rota das Águas – Região leste onde está localizado o Rio Jaguari, nessa rota encontra-se o Parque Municipal da Cachoeira do Salto, além de cachaçarias, alambiques, apiário, café mineiro, doces e queijos artesanais, vendas e mercearias típicas rurais, gastronomia típica mineira e hospedagens com um lindo visual. Com os seus saltos e cachoeiras que possibilitam a prática de rafting, a rota conta ainda com o Pico do Lobo Guará e acesso ao município de Camanducaia e distrito de Monte Verde e à cidade de Joanópolis.

Rota das Pedras – Localiza-se na região oeste do território. A terra é o elemento central. Na Rota das Pedras, além da Serra das Anhumas, há também um relevo ameno, com mares de morros. Para os aventureiros é possível passear pelo alto da serra em meio à neblina, apreciar belíssimas paisagens, além da fauna e flora silvestres. O atrativo âncora desta rota é a inscrição rupestre do sítio arqueológico Pedra do Índio (temporariamente fechado para ações de conservação), além de retiro budista e ateliê de artes. Não deixe de viver essa experiência!

Rota das Rosas – Corresponde ao centro urbano, marco zero do município que tem por atrativo principal o Santuário de Santa Rita de Cássia, que conta com imagem fac-simile (cópia idêntica) da padroeira do município. Em seu interior encontram-se obras em cobre martelado do artista plástico e mosaicista italiano Alfredo Mucci, que viveu por um período na cidade.
A rota conta com os Parques Municipais de Eventos e da Cachoeira do Jaguari, além de artesanato local, Produção Associada ao Turismo, Feira do Produtor Rural, Roteiro Gastronômico, outlets, cervejarias artesanais, restaurantes, pousadas e hotéis para bem receber o visitante.
Caminhar pelas ruas da cidade é sentir o ar do interior de Minas Gerais.

Rota do Sol – Situa-se na região norte do município e é caracterizada pelo elemento fogo em referência à face norte que mais recebe horas de incidência solar, diferenciando a biodiversidade local. A Rota do Sol é para aventureiros que apreciam as trilhas de jipe, moto e bicicletas no alto da Serra das Anhumas. Nos passeios pelas estradas rurais é possível encontrar vários mirantes naturais de onde se avista a Serra do Lopo, Serra de Itapeva e os vales dos Rios Jaguari e Camanducaia. Para se refrescar sugerimos um descanso na Prainha do Juncal. A rota conta ainda com pousadas, artesanato em tear, comida mineira e a simpatia da gente hospitaleira da nossa terra!

Rota dos Ventos – Situa-se na região sul do município. Seu principal atrativo é a Serra do Lopo, com os mirantes naturais, trilhas e rampas de voo livre. A divisa dos Estados de Minas Gerais e São Paulo percorre o cume de onde pode se avistar a Represa do Sistema Cantareira e Vale do Rio Jaguari, além da Serra das Anhumas e a cidade de Extrema. A rota abriga ainda o Parque Ecológico Pico dos Cabritos com trilhas, restaurante, pousada e spa.
Para quem busca aventura ou somente contemplar a biodiversidade da Floresta Atlântica, essa é a rota ideal com trilhas para caminhada, pedras para escalada e rapel, visitas à Reserva Florestal do Sauá, além de outras opções de restaurantes e hospedagens.

Curiosidade

 

Em 10 de maio de 2008, a paróquia da cidade de Extrema foi elevada à condição de Santuário de Santa Rita de Extrema. Isto se deve ao fato do município receber duas relíquias da santa: um fragmento de osso e um pedaço de seu manto juntamente com uma imagem fac-símile (cópia idêntica) do corpo incorrupto de Santa Rita, confeccionada em Roma pelo escultor italiano Stefano Starace. A cidade se tornou assim a única Paróquia no Brasil a possuir duas relíquias sagradas de Santa Rita.

Atrativos:

 

Arte e Artesanato:

 

Produção Associada ao Turismo e Projeto Sala de Visita: Comercialização de artigos do artesanato e produção agroindustrial local composta por artesãos, artistas e produtores rurais.

Crearte – Casa do Artista e Artesão:

Trabalhos do artesanato local em tecidos, telas, caixas, telhas, crochê, tricô, ponto cruz, dentre outros.

 

Roteiro Gastronômico de Extrema:

Reunindo 18 restaurantes da cidade que servem o melhor da comida mineira e também pratos elaborados a partir de outras referências culinárias, o Roteiro Gastronômico de Extrema tem como principais objetivos fortalecer o cenário gastronômico local e indicar aos moradores e turistas os melhores estabelecimentos da cidade para provar iguarias que fazem muito sucesso.

 

Festival de Inverno:

Realizado durante os mês de julho, o festival mais esperado do ano conta com Mostra de Dança, Extrema Mostra Teatro, Música para Todos,  Exposição de Artes, Feira Holística, Extrema Pró-Rock, Noite de Jazz e Blues, Extremamente Caipira, Festival Nacional da Canção e Festival Sabores da Roça.

 

Natural Ecológico:

 

  • Parque Ecológico Pico dos Cabritos
  • Parque Municipal da Cachoeira do Jaguari
  • Parque Municipal da Cachoeira do Salto
  • Rampas de Voo Livre, Asa Delta e Paraglider
  • Prainha do Salto
  • Prainha do Juncal
  • Trilha do Pinheiro
  • Trilha da Pedra das Flores
  • Trilha da Pedra Sapo
  • Trilha da Sacerdotisa
  • Pedra Cume

 

  • Turismo Rural
  • Alambique JJ Carvalho
  • Armazém Bertolotti
  • Apiário Flor Brasil
  • Casa de Chá e Padaria DoSalto
  • Recanto do Ipê
  • Cachaçaria do Salto
  • Paraíso do Shimeji
  • Ateliê das Pedras
  • Bar e Mercearia da Preta

 

  • Esporte e Aventura
  • Pico do Lobo Guará – Paraglider
  • Rio Jaguari – Rafiting e Kayak
  • Rampa de Asa Delta – Vôo Livre
  • Pedra das Flores – Rappel

Turismo Religioso:

  • Santuário de Santa Rita
  • Retiro Tao Tien
  • Ateliê Yab Yun

 

Contatos: 

CIT (Centro de Informações Turísticas)

Endereço: Praça Presidente Vargas nº 100

Tel: (35) 3435-3711

 

Funcionamento:

De segunda à sexta-feira: 8h às 17h.

Finais de semana e feriados: 9h às 17h.

 

Mais informações: http://www.extrematur.com.br/

 

 

Galeria de fotos de Extrema:

Conheça as atrações da cidade:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *