18/08/2016

Conceição do Ouros

p1190158CONHECENDO A HISTORIA

 

Os índios Cataguás foram os primeiros moradores da região onde hoje se localiza o município de Conceição dos Ouros.

As terras Sul Mineiras foram desbravadas por garimpeiros à procura de ouro, mas no final do século XVIII as terras ourenses começaram a ser ocupadas por famílias de origem portuguesa, aventureiros, agricultores e seus escravos que se instalaram no local.

Em 1854, o Major Félix e sua esposa construíram uma capela sob a invocação de Nossa Senhora da Conceição em terras de sua propriedade, doando na mesma época, terrenos para o patrimônio da igreja, em torno da capela floresceu o arraial, hoje cidade de Conceição dos Ouros – MG.
 

CONHECENDO O TURISMO

 

Conceição dos Ouros, cidade hospitaleira cercada de serras, lugar propicio para o descanso e lazer, um convite irrecusável a quem curte caminhadas ecológicas em locais outrora apreciado pelos índios Cataguás que habitavam toda a encosta do Rio Sapucaí Mirim.

Conceição dos Ouros oferece a seus visitantes uma viagem a tempos passados através de Sítios arqueológicos, resgates cerâmicos e machadinhas (objetos usados por seus mais antigos habitantes), também as  fazendas coloniais do século XIX, com seus casarões, porões e senzalas, que proporciona ao visitante uma viagem ao passado.

O passado também se mostra presente através da comida típica local feita à base de mandioca e polvilho, o qual era cultivado há 700 anos pelos índios Cataguás, e vem se consagrando a cada ano no festival de pratos típicos da Festa do Polvilho com as delicias: pão de queijo, sequilhos, brevidades, nhoques, doces e salgados. Quitutes que denominaram a cidade como “Capital do Polvilho”.

O Museu Histórico, Arqueológico, Cultural e Ambiental do Município de Conceição dos Ouros (Museu do Índio), a Prainha dos Euclides e dos Pilões, a Kaskata, a Serra Grande, a Mata da Bexiga e a Serra Careca são alguns dos atrativos do município.

Bem Vindo a Conceição dos Ouros – MG.

 

 

SEGMENTOS TURISTICOS

 

Turismo Rural

Turismo Cultural

Ecoturismo

 

CURIOSIDADE

 

Conta a história que realmente houve garimpo na cidade, porém o minério encontrado era  um mineral conhecido como pirita(mais conhecido como “ouro de tolo”), vestígios desta época ainda podem ser encontrados às margens do ribeirão que corta o município, o qual recebeu o nome de “Ribeirão de ouros”.

 

 

 

 

 

CONTATOS

 

Prefeitura: (35) 3653-1220

Departamento de turismo: (35)  3653-1856

Policia Militar: 190/ 3653-1055

Pronto socorro/hospital: (35) 3653-1122

Rodoviária:

 

 

SOBRE O MUNICIPIO

 

Emancipação: 06/08/1948

População: 10.204 hab.

Área: 183 km²

Altitude: 860m

Temperatura média anual: 19º c

 

DISTÂNCIAS

 

Distancia do DF: 1009 km

Distancia do RJ: 371 km

Distância de SP: 240 km

Distância de BH: 414 km

 

 

ESPORTES DE AVENTURA

 

Paraglider

Rapel

Trekking

 

 

RECEPTIVO TURISTICO

 

Agência Caminhos de Gaia

Responsável: Ana Maria Betsa da Costa

End: Rua 1º de Junho, 45 , Centro – Cachoeira de Minas-MG

Cep: 37.545-000

Tel: (35) 3472-1324 / 8401-2829

E-mail: agcaminhosdegaia@hotmail.com

ana_betsa@yahoo.com.br

ameliaguerzoni@yahoo.com.br

 

 

ROTEIRO

 

Roteiro Em Cantos das Serras Verdes – natureza, história, cultura e lazer…

Operado pela Agencia Caminhos de Gaia – Circuito Serras Verdes

 

 

EVENTO

 

Festa do Polvilho

Mês de agosto

 

A festa do polvilho teve inicio no ano de 1993, e era de âmbito local. a intenção da festa era divulgar os produtos oriundos do polvilho, que era o maior produto comercial da cidade. a festa foi interrompida por quatro anos e retornou no ano de 2001 com a gestão atual. A festa constitui no festival de pratos típicos, a coroação da rainha do polvilho que acontece na praça principal onde durante quatro dias acontecem shows variados.

A rainha da festa é escolhida entre as filhas dos produtores de polvilho. Quando não há uma candidata, a escolha sai do âmbito da família dos produtores e, è feita pela comissão organizadora.

Quando eleita, a rainha recebe um manto e faixa brancos simbolizando o polvilho, cetro e coroa.

A festa acontece na praça onde é montado um palco para a coroação e shows musicais.

Na praça durante os festejos monta-se uma barraca restaurante, onde se vendem quitutes, bebidas, durante os quatro dias de festa. Além desta montam-se também barracas de artesanatos típicos da região.

 

 

ATRATIVOS

 

Culinária

 

Comida típica local feita à base de mandioca e polvilho, e vem se consagrando a cada ano no festival de pratos típicos da Festa do Polvilho com as delicias: pão de queijo, sequilhos, brevidades, nhoques, doces e salgados. Quitutes que denominaram a cidade como “Capital do Polvilho”.

 

 

Acervo arqueológico

 

Hoje, descobertas arqueológicas de urnas funerárias com pedaços de ossos, machadinhas de pedras e os sítios arqueológicos pré-históricos tem revelado a presença dos primeiros habitantes que durante mais de 150 anos ficaram no esquecimento.

Conceição dos Ouros respira a História e a preservação de sua memória e identidade cultural, pode ser vista e admirada no Museu do Índio, onde seu visitantes podem conhecer artefatos históricos e Pré-históricos e imagens dos trabalhos de tradição cerâmica “tupi-guarani”, de escavações arqueológicas e de vestígios existentes no município e da história de Conceição dos Ouros com a exposição de objetos e fotografias relacionadas com a história da cidade.

 

Museu Arqueológico do Índio

 

“Museu Arqueológico, histórico, cultural e Ambiental do município de Conceição dos Ouros”. Criado em 1998 com objetivo de resgatar importantes artefatos pré – históricos oriundos de salvamento arqueológicos efetuados no município o “Museu do Índio” como é popularmente conhecido, tem recebido visitação de muitas escolas da região de nível fundamental até superior. Localizado em duas salas do Ginásio Poliesportivo, a duas quadras da Praça da Matriz, o atrativo muito bem montado encontra – se em bom estado de conservação de seu acervo, composto por urnas funerárias Tupis – guaranis, coleções de “líticos”, objetos coloniais, documentação fotográficas, escritas da história dacidade. Atualmente está sendo realizado um estudo para transferência do Museu para o edifício do antigo “cine ouros”, onde além de uma melhor organização da parte museográfica da instituição, da localização dos edifícios na avenida principal da cidade, deverá ser organizado acervo relativo à história do cinema no município. O prédio conta também com um grande espaço de audiência e palco para apresentações teatrais, musicais e cinematográficas, devendo ser o mesmo preservado e utilizado também para os programas de Extroversão (Educativos) do Museu. As visitas, agendadas com antecedência recebem monitoramento por especialista (mestrando em arqueologia na USP) que desenvolve projeto de pesquisas em arqueologia no município.

O local onde o Museu está localizado hoje dispõe de banheiros, facilidade de estacionamento e próximo ao comercio da cidade.

 

 

Prainha dos Pilões ou Prainha de Baixo

 

Possui  um volume considerável de água, está ladeada de mata  natural e com uma ilha entre a corredeira e a margem. Alto potencial para a prática de rafting.

Acima da cachoeira existe um lugar onde o rio faz uma volta que é denominado  poço do funil por ser a parte mais funda. É muito procurado para pesca. Alguns dos peixes encontrados no rio são  mandi, curimbatá, bagre, tabarana e lambari.

O local recebe o nome de Prainha por existir em volta do Rio uma grande superfície de areia. É um lugar extremamente adequado para o aproveitamento humano.

 

 

Prainha dos Euclides ou Prainha de Cima

 

Na década de 70 foi encontrada num caldeirão natural uma machadinha de silimanita, “uma matéria raramente encontrada com tamanho a ser utilizada para este fim  ( apenas 2 fontes são atualmente conhecidas no estado). Sabe-se que os tupi-guarani e alguns grupos pré-ceramicos transportavam blocos desta rocha em grandes distancias para transforma-las em machados, provavelmente de prestigio e não destinados ao uso” (Prous 2001) este artefato se encontra hoje no “Museu do índio”  e pode ser considerado uma referência da ocupação  desse espaço de desnível do rio. No espaço conhecido como prainha o Rio se divide em dois braços formando uma ilha. A cascata é apropriada para a prática de rafting passeio de canoa. Na areia da prainha o turista pode desenvolver atividades esportivas como futebol de areia, vôlei, peteca  e outros.  Nos finais de semana de sol, a Prainha é bastante freqüentada.

 

 

Sitio Arqueológico Dorgão

 

Um muro circular de terra conhecido com “terreiro dos índios”, considerado um local estratégico para a observação do rio, entre os limites das cachoeiras e  do  bairro da chácara, local principal dos sepultamentos, o sítio do Dorgão  é fundamental para referencias e entendimentos sobre a geoestratégia de ocupação do aldeamento no período pré-colonial.O sítio é eminentemente pré-histórico na visão da Arqueologia tradicional, para uma Arqueologia do espaço deve se tornar misto, pré-histórico e histórico.

 

Sitio arqueológico da creche

 

Localizado a poucos Metros do pátio da Escola, foram encontradas e resgatadas em 2000 urnas funerárias que se encontram no “Museu do Índio”. Segundo fontes orais na construção Escola e Creche Municipal foram encontrado vários fragmentos cerâmicos idênticos aos que se encontram no “Museu do Índio” , em determinadas áreas não construídas do local foram feitas escavações por uma equipe da UFMG sob a coordenação do Professor Doutor André Prous (Arqueólogo Francês).

 

 

Sítio Arqueológico do Lico

 

Este se encontra numa colina de suave inclinação na margem esquerda do Rio Sapucaí – Mirim  o Sítio tem origem de uma “aldeia pré-histórica” onde foram encontrados fragmentos cerâmicos  derivados da tradição indígena (tarja vermelha Tupi-guarani). Junto com esses fragmentos de tradição  cultural indígena.

 

ARTESANATO

 

O município apóia a Associação de Artesãos de Conceição dos Ouros. Realizam trabalhos de pintura em madeira e tecido, colchas de patchwork, quiling, bordados, crochê.  O artesanato é oferecido na loja dos artesãos.

 

 

 

SLOGAM DO MUNICIPIO

 

Conceição dos Ouros, Capital do polvilho!

 

 

SITE / blog

www.conceicaodosouros.com

www.ourosportal.com

http://garotosdeourofutebol.blogspot.com/2008/04/conceio-dos-ouros-mg-terra-do-corao.html

Galeria de fotos de Conceição dos Ouros:

Conheça as atrações da cidade:


Artesanato

Aventura

Cachoeira

Compras

Contemplação

Cultural

Ecoturismo

Eventos

Gastronomia

Informações Turísticas

Lazer

Mirante

Religioso

Romance

Turismo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *